Mensagens

"Os professores são uma classe muito maltratata" - Ana Benavente

Imagem
Quando saem de cargos de responsabilidade dizem o que os seus sucessores devem fazer, que na realidade é quase sempre o que eles não fizeram!
____________________________________________________________________________________
Os professores são uma classe maltratada?

Muito maltratada. É uma classe que tem uma brutal carga burocrática em cima. É inacreditável, ninguém imagina a parafernália de documentos que é preciso articular, desde o perfil, os objetivos, as competências essenciais, as reuniões que têm que fazer. A vida dos professores é uma vida de exaustão, é uma classe muito envelhecida.

Qual a sua opinião sobre Tiago Brandão Rodrigues?

O atual ministro está lá para fazer o que o mandam fazer.

É assim que o vê?

É exatamente assim que o vejo. É um jovem cheio de mérito, era investigador num centro de investigação e representa a geração mais qualificada do país. Mas não conhece as escolas e não tem experiência. Não tem projeto nem programa, a não ser aquele que o PS o manda executar. …

(Costa)...procura é a popularidade que o avental da Cristina lhe confere? - Santana Castilho

Imagem
1. Nos Estados Unidos da América, dirigidos pelo homem que popularizou a expressão fake news, diz a Gallup que 18% dos cidadãos acreditam que o sol gira em torno da terra, 42% afirmam que Deus nos criou há menos de 10.000 anos e 74% dos republicanos no Senado negam a validade das mudanças climáticas, apesar das evidências científicas aceites no mundo. Com os olhos postos nisto e nas previsíveis campanhas de desinformação em ano de eleições, o PS propôs a discussão do assunto no plenário da Assembleia da República, defendendo um projecto de resolução que recomenda ao Governo a adopção do plano de acção contra as fake news, aprovado pela Comissão Europeia em Dezembro passado. Tratando-se de matéria em que o Governo é exímio especialista, o êxito está garantido. Dêem-lhe espaço de manobra e, agora que já temos uma agência espacial, Pedro Marques ainda anunciará que seremos os segundos a pôr o pé na Lua.

Factos que se contradizem deixam-me perplexo. O que será falso? O desvelo com que o G…

Fenprof diz que há alunos com necessidades especiais que perderam apoios - Não estranho!

Imagem
Das cerca de 20% de escolas do continente ouvidas pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof) num inquérito sobre o novo regime de educação inclusiva, que substitui a lei da educação especial, muitas criticam a falta de recursos para implementá-lo e algumas afirmam que há alunos que perderam apoios.

A Fenprof divulga este sábado em Lisboa os resultados do inquérito promovido junto de 162 agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas sobre o processo de publicação e implementação nas escolas do novo regime de educação inclusiva, dos quais 158 foram validados, um número que corresponde a 19,5% das escolas do continente.
As respostas revelam que no universo de escolas
ouvidas pela federação cerca de 25% dos estabelecimentos dizem ter alunos com “problemáticas mais complexas” que perderam apoios em consequência do novo regime legal. Quase 65% das escolas dizem, no entanto, ter mantido o mesmo nível de apoios e cerca de 5% dizem que foram reforçados os apoios.

Na semana passada, o PÚ…

Escolas têm de “entender como centrais” a História e a Geografia, sublinha ministro

Imagem
O número de aulas semanais das disciplinas de História e Geografia está a diminuir em várias escolas, para dar espaço à nova disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, criada no ensino básico. As associações de professores estão preocupadas com a situação e vão reunir-se com o Ministério da Educação. O ministro Tiago Brandão Rodrigues afirma que as escolas têm de “entender como centrais” aquelas duas disciplinas.

“Essas duas componentes tão importantes no nosso currículo têm de ser robustecidas e entendidas como centrais pelas escolas”, afirmou o ministro da Educação, na manhã deste sábado, à margem de uma visita à Feira de Educação, Ciência e Tecnologia de Ponte de Lima.

Tiago Brandão Rodrigues reagia à notícia publicada pelo semanário Expresso, segundo a qual em muitas escolas há este ano menos aulas de História e Geografia, em função da introdução da nova disciplina de Cidadania e Desenvolvimento e também da reforma da flexibilidade curricular. “Não quero acreditar que diminuam ou m…

Marcelo promulga diploma sobre contagem do tempo de serviço dos professores

Imagem
Marcelo Rebelo de Sousa promolgou hoje o diploma.




O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promolgou hoje o diploma sobre a contagem do tempo de serviço dos professores.


A informação foi confirmada numa nota publicada no site da Presidência da República.



Texto

O Presidente da República promulgou o diploma do Governo que mitiga os efeitos do congelamento ocorrido entre 2011 e 2017 na carreira docente, pelas seguintes três razões:

1.ª O Governo e os Sindicatos deram execução ao disposto no artigo 17.º da Lei do Orçamento para 2019, realizando encontros negociais já neste ano, assim cumprindo o apontado no veto presidencial de 16 de dezembro de 2018.

2.ª Tendo falhado as negociações, se o Presidente da República não promulgasse o diploma, isso poderia conduzir a deixar os professores sem qualquer recuperação na carreira durante o ano de 2019.

3.ª A promulgação permite aos partidos com assento parlamentar, que já manifestaram ao Presidente da República as suas objeções ao dip…

BE e PCP querem travar governo - Será?

Imagem
Tenho alguma dificuldade em perceber este tipo de jogo! Ora aprovas um orçamento, ora criticas, tentar ter um pé em dois sapatos não deve ser fácil e, só por isso, já merecem um aplauso circense!

De qualquer forma, acredito que ficaremos todos mais elucidados sobre as reais intenções!


_________________________________________________________________________________




A guerra entre os professores e o Governo por causa do tempo de serviço congelado já chegou ao Parlamento. Os partidos da esquerda reafirmaram que vão tentar travar o Governo para que todo o tempo de serviço congelado - nove anos, quatro meses e dois dias - seja reconhecido aos professores.

Poucas horas depois de o Executivo ter aprovado, na quinta-feira, em Conselho de Ministros o decreto-lei que só reconhece dois anos, nove meses e 18 dias, os partidos que sustentam a solução governativa - Bloco de Esquerda, PCP e Os Verdes - não perderam tempo e voltaram a anunciar que vão avançar com um pedido de apreciação parlamentar…